Sobre os noivos

Eles se conheceram na faculdade e, apesar de parecer clichê, a Nalú é capaz de jurar que, desde a primeira vez que viu o Felipe, mesmo sem nunca terem conversado, ela já sabia que ficariam juntos. Ele, por sua vez, conta que sempre reparava nela: “Linda, de tênis e moletom”.

Um elogio, um sorriso, viagens com os amigos, muita conversa e pronto, estava feito, a partir dali eles não se desgrudariam mais.

Durante a trajetória até o casamento muita coisa aconteceu: Desde uma intimação da Nalú para que houvesse um pedido de namoro (vocês sabem como o Felipe pode ser lento), até o leve surto da noiva para descobrir porque o Felipe se atrasou tanto para a viagem que estava programada (o Felipe estava comprando o anel de noivado e o pedido surpresa foi por água abaixo!).

Todos sabemos que o caminho a dois nunca é fácil, mas o mais importante de tudo isso é que o aprendizado entre os dois é constante. Todas as adversidades que enfrentaram foram superadas com muito amor e aquele sentimento mútuo: a certeza que tinham da vontade de dividir a vida um com o outro.

Eles se bastam e isso é extremamente difícil de se encontrar por aí. Podem passar horas conversando, sobre infinitos assuntos (mesmo depois de quase 8 anos de namoro) e, ainda assim, descobrirem ou redescobrirem algo diferente que admiram um no outro.

O amor deles reflete, transborda e inunda. Não há quem não olhe para os dois e não afirme que além das semelhanças físicas, eles possuem semelhança de almas, interesses, objetivos, sonhos e valores.

As almas gêmeas são assim e que bom que essas se encontraram.